Conectar-se

Esqueci minha senha

Testando rolagens

Sab Nov 28, 2015 6:02 pm por Admin

Usem o tópico pra testar rolagens e não fazerem cagada no RPG mandando as coisas de modo errado e cagando no pau. Seus viados.

Amo vocês.

Comentários: 393

Jornal da Carmilla - Apocrypha 2.0 Abertura

Qui Out 06, 2016 11:52 pm por Carmilla

MEUS AMORES
QUERIDO DEMÔNIOS E ANJOS DO MEU HARÉM
ADIVINHA QUEM VOLTOU?!

ISSO MESMO, MAIS ALTO, MAIS ALTO!
GRITEM!
ISSO MESMO MEUS AMORES!


SOU EU, CARMILLA BARTLEY! Também conhecida como Carmilla Valenfell para alguns...

Nossa! Admito que não esperava voltar, mas é …

[ Leitura completa ]

Comentários: 0

Evento de Encerramento

Qua Jun 22, 2016 10:21 pm por Wikipisces

Em algum lugar de Air-su-la-Lys, uma figura observava as sombras. Anos de experimentos, várias falhas e um progresso quase ínfimo resultaram naquele momento. A figura sombria rodeada de Sete Sombras começou a falar.

- Tudo ocorreu conforme planejei. Cada peça se movimentou da forma que eu previ. E agora é chegada a hora. O momento que tanto desejei.

Aquele homem caminhava, as Sete Sombras …

[ Leitura completa ]

Comentários: 0

Jornal Matinal de Air-su-la-Lys

Sex Jun 17, 2016 1:58 pm por Wikipisces

O dia amanhece ensolarado, o frio que pairava na cidade começa a sumir.

A prefeitura informou que o design do monumento já foi decido e a construção começará em breve.

Um corpo foi encontrado enforcado na frente do shopping Diamant D'or. A polícia revelou que a vítima foi o Detetive Bourbon, muito conhecido por ser um investigador de renome. Não foram dadas informações sobre o …

[ Leitura completa ]

Comentários: 0

Jornal Noturno de Air-su-la-Lys

Ter Jun 14, 2016 5:20 pm por Wikipisces

A temperatura caí ainda mais com a noite.

Não houve a vinculação de nenhuma grande informação.

Há relatos de uma pessoa vagando pelo canteiro de obras do Département du Nouveau Monde, as poucas testemunhas disseram que é um homem de vestias orientais e cabelo avermelhado.

Comentários: 0


Ficha — Carmilla Valenfell

Ir em baixo

Ficha — Carmilla Valenfell

Mensagem por Carmilla em Ter Jan 05, 2016 9:36 pm

Nome: Carmilla

Tendências: Leal Maligna [LM]

Família: Valenfell

Idade: 23

Raça: Humana

Características físicas: Carmilla tem um cabelo loiro muito longo e com pontas arrepiadas, seus olhos carregam um tom amarelo-laranja intenso. Tem 1,74 de altura sem usar salto, o que frequentemente faz e acaba ficando com 1,80 de altura. Possui um corpo... Agraciado, com curvas muito generosas que tem muito orgulho. Sua pele é delicada, visível de uma pessoa que nunca fez muito esforço na vida e que possui uma grande vaidade, sendo branca, mas não num tom de quem nunca pega sol. Unhas sempre bem feitas, mas curtas; gosta de usar batom vermelho e maquiagem.

Background:
Spoiler:
Infelizmente, o começo da vida da Carmilla foi logo acompanhado do fim de outra.
Sua mãe não era uma Valenfell a primeira instância, vinda de fora, a filha herdou muito da mãe na aparência.
Mas seu parto foi muito demorado e por complicações, sua mãe, Carmen Valenfell, veio a falecer.
Vivendo na Russia, a alguns quilômetros de uma pequena cidadezinha, Carmilla nunca passou nenhuma necessidade, apesar de ter passado a maior parte do seu tempo sozinha, somente com os criados e o mordomo do seu pai cuidando da sua educação. Anthony Valenfell foi tomado por um grande mau estar após a morte da esposa, que lhe foi drenando tanto a sanidade quanto a saúde, e isso aumentou ainda mais a tensão na família sobre quem seria o próximo sucessor, e muitos olhares recaíram sobre Carmilla, cobrando da menina que se mostrasse extraordinária.

Felizmente, parte das expectativas foram correspondidas. Logo cedo demonstrou um grande potencial mágico para uma humana, e as aulas de etiqueta e ética sempre lhe foram muito cobrados pelo mordomo que cuidava dela e do chefe da família. Entretanto, até seu aniversário de 16 anos, Carmilla nunca exibiu muito da sua personalidade: era a máscara que todos esperavam dela - educada, feminina e bela. Seria sua apresentação formal para a sociedade, e logo iria aprofundar seus estudos. Mas, naquele dia, seu pai passou mal, e, pela primeira vez, Carmilla exibiu seus sentimentos verdadeiros frente a toda aquela expectativa. Lágrimas quase desesperadas passavam pelo seu rosto pelo medo de perder sua única família - o mordomo não era gentil, ele era um rígido tutor, apenas isso. Anthony lhe sorriu e, limpando as lágrimas de suas bochechas, disse que um sorriso lhe caia muito melhor.

Foi o primeiro toque de verdadeiro sentimento que teve, e que com certeza viria a firmar aquele sorriso nos seus lábios. E, aquelas palavras, vieram a acender a cálida chama que aguardava para ser acolhida no coração ambicioso e impulsivo que lutou tanto para sobreviver as expectativas. Seu pai ficou bem, apesar de ter voltado ao recolhimento, e Carmilla logo foi tomada por aquela chama que incandescia agora seu coração e cintilava em seus olhos.

Em meio aos seus estudos taumaturgicos, ela lia sobre outros assuntos. Histórias sobre seus ancestrais, sobre como eram justiceiros, guardiões entre o bem e o mal, assim como o sonho de ver um mundo cada vez maior era algo que apenas fazia aquela chama já incandescente em seu coração ficar cada vez mais ardente. Sua personalidade rapidamente se moldou, orgulhosa, ambiciosa e impulsiva deixaram que a garota seria um problema se a restringissem do que ela desejava.
Logo viajou pelo mundo, e sua admiração por tudo que ainda não conhecia apenas crescia. Mas, claro, que não apenas viu o que havia de bom.

A corrupção e as guerras, a fome e a pobreza. Ver a natureza do ser humano corrompendo o que havia de bom fez um ódio fermentar dentro do seu ser, um ódio contra tudo que era corrupto. Nesse momento ela se lembrou sobre como sua família era, sobre seus ancestrais. Sabia que agir apenas politicamente nunca seria uma solução definitivamente, mas infelizmente sabia também que tentar limpar a corrupção do ser humano é uma tarefa sem fim.

Seu desejo mais profundo é poder ser capaz de ser uma guardiã da humanidade. Não uma entidade que vai lutar contra o que é errado por apenas querer o certo, mas uma entidade que vai lutar para permitir que a humanidade continue para que sua beleza nunca acabe.

Com isso em mente, Carmilla retornou a sua terra natal e se afiliou a Magi Association, começando a incansavelmente buscar por um método capaz de conceder o que queria, chegando ao ponto de tentar falar com espíritos para tentar descobrir sobre. Foi, durante essa busca, que leu sobre um ritual antigo capaz de conceder qualquer desejo, algo que envolvia uma guerra entre diversos magos. Vendo essa tal ritual como o único meio de conceder o que desejava, passou a receber treinamento de combate mínimo para sobreviver e tentar buscar mais informações sobre essa tal guerra.

Infelizmente, por mais que procurasse, nunca conseguiu encontrar o local da tal guerra. Frustrada, Carmilla se esforçou para manter seu animo e viajou para outro país, esperando que a nova vida como professora de ciências sociais em uma universidade poderia ser boa. Entretanto, logo ao pousar nos Estados Unidos, recebeu a trágica notícia do falecimento do seu pai.


Meses se passaram desde que passou a viver na cidade. Sua cabeça estava completamente abarrotada sobre a questão de quem iria ser o próximo chefe da família Valenfell e seus braços de provas a serem corrigidas, quando esbarrou com um homem. Ver aquela papelada toda indo literalmente indo aos ares e o som de algo quebrando, fez com que seu humor alcançasse um pico de estresse. Antes que percebesse, estava xingando o homem quem havia trombado e logo estava o encarando olho no olho, e nesse momento, jurou ter visto os olhos de seu pai naquele estranho.

Atordoada, recuou e se ofereceu para ajudá-lo. Tentando pensar que talvez fosse o estresse do trabalho junto com a dor da perda do seu pai que a fez ver coisas, aceitou negligenciar um pouco seus alunos para poder entender tudo aquilo. O homem se revelou como Drakar. Talvez tão rápido quanto quando começou a brigar com ele no dia que se conheceram, Carmilla se entendeu muito bem com ele. Era como um irmão mais velho, e conversar com ele a ajudava a espairecer quando estava estressada.

Mas, a semelhança nos olhos nunca sumiu, mesmo nos seus dias mais calmos. E isso a levou investigar sobre o passado de Drakar. Em uma das noites de bebedeira, aproveitou para perguntar sobre a família do seu irmão de consideração, e o que ouviu certamente a deixou em completo choque. Outro Valenfell, fora dos registros da família, foi algo que a deixou completamente atordoada, demorou mais algumas semanas até ela descobrir, por fim, a transgressão conjugal que seu pai havia cometido.

Foi numa noite, no verão, que Carmilla foi encontrar Drakar e, enfim, contou sobre eles serem realmente meio irmãos.

A reação dele a pegou de surpresa. Não, na realidade, foi algo completamente oposto do que esperava.

Ela, apesar do que seu pai fez, estava grata de saber que Drakar era seu irmão. Mas, enquanto ela carregava sentimentos talvez até um pouco tranqüilos demais, os sentimentos de Drakar eram o completo oposto, e talvez isso ela deveria ter esperado.

O pai dela, não, o pai dos dois, abandonou Drakar e fingiu sua morte, matando toda sua família no processo, quando o seu filho ainda tinha 2 anos. Coincidentemente, próximo da época em que Carmilla viera a nascer. Apesar dessa verdade ter sido difícil para Carmilla, ela entendia que ele era seu irmão e priorizava sua família acima de tudo. Mas, quando essas palavras deslizaram pelos seus lábios, Drakar avançou sobre ela sem dizer qualquer coisa e envolveu o pescoço fino da mulher com as mãos. Apesar de ter feito algum treinamento, foi algo focado em seus reflexos, e não em força bruta. Ela soube que ele poderia facilmente a esganar, e temeu por tudo. Não queria que a vida dela acabasse daquela forma. Havia tanto que queria realizar, tanto que poderia fazer pelo mundo.

Mas como poderia ela erguer a força contra um membro da sua própria família?

Para seu alivio, Drakar não terminou o que havia começado. Na realidade, ele a soltou e respirou fundo. Carmilla quis falar algo para ele na hora, mas talvez fosse o medo tanto quanto a dor que a impediram de falar. Acuada, ela procurou ir embora. A noite pareceu mais fria do que o normal e até sentiu uma magoa doendo no seu peito, quando escutou ser chamada e viu que seu irmão veio atrás dela e a abraçou, pedindo desculpas.

Os dias que se seguiram foram um pouco estranhos, mas claro que aquela revelação alterou a relação dos dois. A princípio, Carmilla se sentia um tanto amedrontada, mas aos poucos começou a criar confiança de volta. O instinto de proteção era muito forte e Drakar disse que queria protegê-la também. Acabou se tornando "tutora" de um clube na universidade, "Clube dos Exploradores", onde as atividades eram sobre viagens pelo mundo e estudos sobre a cultura dos povos. Claro que não era a "fundadora" do clube, mas ficava cuidando das atividades deste e dos seus membros. De alguma forma, tudo parecia seguir um fluxo.

Isso até, então, a marca aparecer em sua mão.

Itens:
- Celular;
- Par de comunicadores de orelha;
- 3x poção de mana;
- Binóculo;
- Colete a prova de balas.

Atributos:
FOR: 1 (E)
VIT: 
8 (B)
AGI: 7 (B )
MAG: 12 (EX)

HP: 170
Total de mana: 2100

Total de circuitos mágicos: 35 circuitos

Perícias:
Sentidos Aguçados NV 01 (2 pontos)
Reflexos (2 pontos)
Circuitos Extras (2 pontos)
Encantamento Aprimorado (2 pontos)
Riqueza Baixa (1 ponto)
Grimório dos Segredos (1 ponto)

Arquearia (1 ponto)
Informante (1 ponto)
Binding Eyes (1 ponto)

Taumaturgia:
Piromancia A (5 pontos)
Magia da Igreja A (5 pontos)
Magia Etérea D (2 pontos)
avatar
Carmilla

Mensagens : 469
Data de inscrição : 01/01/2016
Idade : 22

Ficha do personagem
HP:
510/510  (510/510)
MP:
1200/2100  (1200/2100)
Vigor:
20/20  (20/20)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum